Universidade do Minho: ecos de uma censura que nunca o foi, claro!… (1)

A propósito do que já aqui publiquei sobre o caso da censura ao docente Daniel Luís (onde está escrito “censura”, lede, por favor, “aconselhamento”), registo o comentário do leitor Dario Silva. Espero que os professores que, internamente, já tomaram posição sobre o assunto (ainda há gente, na UM, que se respeita a si própria)… me autorizem também a divulgar o que escreveram.
Pois é, coisas com piada.
Se eu não tivesse sido vítima pessoal da pressão e censura do sr. reitor da Universidade do Minho, sr. eng. Guimarães Rodrigues, não acreditaria na estória… assim… acredito piamente na possibilidade de existir censura dentro da UM.
(Isto pode-se escrever?)
Ainda um dia gostaria de perguntar pessoalmente ao digníssimo reitor da Universidade do Minho como foi possível que ele, o digníssimo reitor, acedesse ao pedido via telefonema pessoal do seu amigo (?) o sr. presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, ex.mo sr. Albertino Mota e Silva, para que eu encerrasse o meu site cultural sobre caminho de ferro (www.ocomboio.net) porque, depreendo, não terá gostado de ler alguns factos ocorridos em Celorico e, até agora, indesmentidos.
Mas como são todos grandes democratas, vou fazer de conta que nunca me telefonaram com instruções da digníssima reitoria da UM a, de alguma forma, me tentarem silenciar!
É verdade é sempre incómoda, sobretudo aquela que põe a nú a mente grandiosa de alguns sócios da República.
Dario Silva

Comentar