Teias…

meço-te as palavras
e com elas peso o teu ser
num gesto
abre-se uma nova espécie de flor
ainda sem cheiro
nem cor
trarei os lápis
e um pedaço da manhã
e com a chuva ou a saliva
veremos da botânica
a dor
Ana Saraiva

Comentar