Que culpa têm os nossos jovens que os autores da TLEBS, os autores dos programas de Português e os autores dos exames odeiem a literatura?…

ilocut.jpg
O leitor sabe em que consiste um “acto ilocutório directivo“? Se não sabe, devia saber. Ninguém entenderá Fernando Pessoa, por exemplo, se não for capaz de distinguir um “acto ilocutório directivo” de um “acto ilocutório compromissivo“.
Explico.
Os actos ilocutórios podem ser: assertivos; directivos; compromissivos; expressivos; declarativos; indirectos. Estou a reproduzir a famosa… TLEBS (Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário).
Na categoria “acto ilocutório directivo” incluem-se (cito ainda a versão oficial da norma)…
actos que têm em comum, embora com matizações, a intenção do locutor de levar o interlocutor a fazer ou a dizer alguma coisa. Tendo em comum o facto de darem expressão a uma vontade ou desejo do locutor em levar o interlocutor a realizar uma acção futura, perfilam-se actos como «convidar», «pedir», «requerer», «ordenar», «suplicar» ou «avisar», embora difiram pela natureza própria de cada um. É importante salientar que, em relação a «pedir», «ordenar» obedece a uma condição preparatória adicional segundo a qual o locutor tem que estar numa posição de autoridade em relação ao interlocutor. As perguntas são uma subclasse de directivos, tendo em conta que o objectivo é obter do interlocutor a execução de um acto de fala
Já entendeu finalmente em que consiste um “acto ilocutório directivo“?…
É mesmo burro/a!

5 Responses to “Que culpa têm os nossos jovens que os autores da TLEBS, os autores dos programas de Português e os autores dos exames odeiem a literatura?…”

Read below or Comentar...

  1. AS says:

    P’lamor dedeus! Isso, até o papagaio-amestrado sabe!!!

  2. Dario Silva says:

    Eu continuo burro; importa-se de repetir?
    Ou deveria eu começar a ler o 24Horas?

  3. cândida says:

    Eu nunca entendi e não entendo aqueles k, muito sérios da sua sabedoria, afirmam k isto é útil para os alunos. como é k eu posso ensinar uma coisa k não percebo nem vejo qualquer vantagem na sua aprendizagem!?

  4. Alexandre de Castro says:

    O TLEBS é um autêntico orgasmo linguístico-pedagógico.

  5. Anónimo says:

    Está a ver porque é que o TLEBS é necessário?
    Para evitar que a Cândida & Outras num blog escrevam como se estivessem ao telemóvel.

Comentar