Nunca hei-de entender como, em Portugal, certos políticos conseguem sempre fazer excelentes negócios imobiliários, exibindo meios de fortuna cuja origem, aparentemente, escapa ao entendimento comum…

apartam09aaa1.jpg
Público, 20.02.2009
Por outro lado, nunca me esqueço de que, um dia, há muitos anos, um empreiteiro procurou um tio meu, pedindo-lhe que me comunicasse que, se eu desistisse de publicar uma determinada investigação, ele me venderia por um preço simbólico um magnífico T3 no prédio que, ilegalmente, estava a construir, com a conivência de um presidente de câmara. Pensei: se o silêncio de um jornalista se “comprava” com a promessa de um apartamento, quanto valeria a conivência do autarca?!…
É, por isso, que eu continuo a rir quando leio certos desmentidos…

Comentar