Não tenho nada contra a presença das “virgens imaculadas” (poderão até ser uma atracção turística). Só espero que o estado português não tenha comprado e recuperado o Mosteiro de Tibães para entregar uma parte dele à evangelização…

tib09aaaa111111.jpg
tib09aaaa444444444444.jpg
tib09aaaa55555.jpg
(…)
tib09aaa2222222222.jpg
(…)
tib09aaaa666666666666.jpg
tib09aaaa77777777777.jpg
tib09aaa888888888888.jpg
Diário do Minho, 17.04.2009
Desde já aviso que reagirei muito mal se as missionárias que, pelos vistos, são propriedade de um deus qualquer, me importunarem com os seus fetiches e tabus. Não foi para isso que o estado português comprou e recuperou o Mosteiro de Tibães…

One Response to “Não tenho nada contra a presença das “virgens imaculadas” (poderão até ser uma atracção turística). Só espero que o estado português não tenha comprado e recuperado o Mosteiro de Tibães para entregar uma parte dele à evangelização…”

Read below or Comentar...

  1. N. says:

    Os conventos e mosteiros foram construídos como espaços de culto, saber e cultura. Não foram feitos para se transformarem em hotéis onde os ricalhaços vão dar largas à sua opulência. Por isso, se voltarem a ser locais ligados à espiritualidade só enobrece a sua existência. Esse laicismo exacerbado é que tem levado à destruição do património (que aliás é na sua maioria de cariz religioso).

Comentar