Livros…

arelig.jpg
Não sendo propriamente um bibliófilo, nem um coleccionador de raridades bibliográficas, adoro livros com pátina (geralmente escreve-se “patine”, à francesa). Este, “A Religiosa em Solidão”, editado em 1746, será provavelmente o livro mais antigo da minha biblioteca. Já não sei quanto paguei por ele, mas livros destes não têm preço. Acresce que “A Religiosa em Solidão” é, no género, uma obra prima. Poucas leituras me têm divertido tanto…

Comentar