Improviso sobre a arte do demónio…

Uma ideia apenas
mas que faça parte de ti
com palavras dentro
as palavras necessárias
(não são precisas todas)
mas o corpo inteiro
indivisível
uma ideia que te congregue
que não deixe de fora nenhuma ilusão
nenhuma fantasia
nenhum sentimento
e que sopre tão cortante e definitiva como o vento
na montanha que não contas
uma ideia apenas
mas que seja tua
e revolva todos os ecos
dos precipícios que conjuraste.

Ademar
20.12.2007

Comentar