Improviso para Liu Xiaobo…

Talvez a literatura não ensine
a tolerar o intolerável
mas na dúvida
haverá sempre uma cela
uma farda
à medida de qualquer pulmão
que respire.

Ademar
26.12.2009

Comentar