Improviso para guitarra, voz e algemas…

Inclino-me aos teus gritos
Todos os vazios suplicam desertos
as mãos que escorrem pela tua inércia
e simplesmente rastejam
a esperança trocou sempre o destino
não há fadas boas nem fadas más
e a guitarra convida sempre ao corão
o fado é o cárcere em que resides
quando descantas.

Ademar
28.11.2006

Comentar