Improviso para espreitar pela fechadura…

As chaves também abrem e fecham por dentro
a porta que abre e fecha para fora
há um sinal à entrada de nós
um amuleto em forma de fechadura
um espelho antigo em que ninguém se vê
os passos que seguem as cinzas da memória
e tropeçam nela
essa voz que se eleva do silêncio
entre tantas vozes
esses braços que abraçam toda a gente
e voltam sempre à inércia original
e esses soluços que as palavras não contam
simplesmente
porque já não reconhecemos o lugar da porta
entre nós.

Ademar
25.05.2007

Comentar