Improviso para amortizar algo muito parecido com o amor…

Bebo ainda à tua saúde
amiga
como se agora só agora
a eternidade nos consentisse
um brinde fora de tempo
sempre estivemos do mesmo lado do balcão ou do cais
pagando a meias um destino impartilhável
e ouvindo aos marinheiros tantas epopeias sem gente dentro
como nos filmes de Fassbinder
não há saúde agora a que possamos mais beber
senão à nossa
foi por ela que perdemos e ganhámos tudo
e foi por nós que sempre fingimos
que não era nada connosco.

Ademar
26.12.2008

One Response to “Improviso para amortizar algo muito parecido com o amor…”

Read below or Comentar...

  1. Alexandre de Castro says:

    Ninguém fica indiferente a este poema, à sua abrangência, já que existe sempre, em cada da um de nós, uma amiga que, na saudação de “um brinde fora do tempo”, se encontra “do mesmo lado do balcão ou do cais”.

Comentar