Improviso no degrau do desencantamento…

Os perímetros do teu silêncio
têm esquinas
que me convidam ainda à escuta
outras
não
as áreas perfeitas
não cabem
em nenhuma orientação
e a montante do vento
todas os rios
aspiram à foz.

Ademar
28.02.2010

3 Responses to “Improviso no degrau do desencantamento…”

Read below or Comentar...

  1. Alexandre de Castro says:

    Perfeito! Um lindo poema.

  2. Maria José Meireles says:

    Que desencanto!…(lindo)

Comentar