Improviso no cais…

O eterno retorno
à condição original
esse barco sempre incerto
que se oferece à rebeldia das ondas
como se aspirasse sempre a dobrar os cabos
da boa esperança e da má
o impulso de todos os embarques e desembarques
a insustentável leveza dos seres
que nunca adormecem as noites
que partem quando deviam ficar
barcos que não regressam
porque nunca saem do cais
e atravessam os dias
e atravessam os meses
e atravessam os anos
e a partida é sempre a chegada
e a chegada uma partida
o tempo que não chegou a pertencer-nos
e a vida que parece sempre adiar-nos
o eterno retorno
à condição original
hoje o comboio desesperou por ti.

Ademar
31.10.2007

One Response to “Improviso no cais…”

Read below or Comentar...

  1. cândida says:

    tou diabólica com a música que comi há bocadinho :) bebia o sangue todinho por uma palhinha

Comentar