Improviso fracturante…

De vez em quando
há homens por dentro das mulheres
e mulheres por dentro dos homens
a poesia reinventa
as regras da natureza
e há homens que sofrem
por dentro das mulheres
e mulheres que sofrem
por dentro dos homens
como se nada os distinguisse
o sofrimento é uma linguagem avençada
do prazer
e há quem espere eternidades
na eternidade da espera
e quem ame devagar
porque o coração bate sempre
mais depressa do que a saudade.

Ademar
31.08.2009

Comentar