Greve, digo eu..

Sim, é um direito, constitucionalmente consagrado. Muitas vezes, quase, uma obrigação. Sabe-se que não serve para nada. Sabe-se que serve para tudo. Já houve um tempo neste país em que fazer greve podia valer a prisão. Hoje, o “castigo” é simplesmente financeiro. Quando não abre a porta a um despedimento a prazo. Mas o medo permanece. O medo e a inércia cívica. Sabe-se que não serve para nada. Sabe-se que serve para tudo. Mas entre o nada e o tudo… a dignidade acontece. A dignidade de quem ousa dizer não, quando é preciso…

One Response to “Greve, digo eu..”

Read below or Comentar...

  1. José Dias says:

    É por isso que eu gosto e venho sempre aqui espreitar o seu Blog, embora não faça comentários. É que trata sempre as notícias e a poesia com inteligência…
    Disse bem, e o medo permanece!

Comentar