Entre toda a luz e algumas sombras – memórias de uma viagem interior (22)…

beta.jpg
Há quem nunca ganhe ou perca no jogo das solidões. Há quem tenha as cartas viciadas, mas nunca vá a jogo. É que este jogo dói a jogar e ninguém, verdadeiramente, está preparado para perder ou para ganhar. Sobra sempre, claro, o silêncio do jogador suicida. O silêncio e a espera e a dúvida: a ambiguidade. E o medo: esse medo antigo e quase primário da janela aberta. Das asas que batem e, finalmente, podem ousar…

2 Responses to “Entre toda a luz e algumas sombras – memórias de uma viagem interior (22)…”

Read below or Comentar...

  1. eu says:

    por vezes, o que escreves, bate-me no peito e faz doer mas, mesmo assim, gosto muito (digo:preciso) de te ler.

  2. cândida says:

    e estes textos são tão bonitos. comovem-me. a sério. puxa tou kase a chorar.

Comentar