Um filme que recomendo: “Rois et reine”, de Arnaud Desplechin…



Há títulos que me prendem. Não conhecia ainda o realizador (Arnaud Desplechin), mas fixei o título: Reis e Rainha. Imaginei uma mulher no centro do universo, digo, da narrativa. E trouxe-a para casa, digo, o filme, para ver na intimidade dos lençóis (tenho o vício de adormecer na tela). Devo confessar que já raramente o cinema me consegue manter acordado. Rois et reine não é, propriamente, uma obra-prima. Mas tem ingredientes que o recomendam à memória. Nora, a “Rainha”, é uma das mulheres mais verdadeiras que eu já vi no cinema. Gostava de ter uma filha como ela, que me ajudasse a viver e a morrer assim…