Instâncias…

não se toca na infância
nem beijo nem palmada
nem nenhum outro abuso
não peçam para ouvir,
todas as conversas são proibidas
não falem,
não há nada para dizer
isso já podem saber
cresçam protegidamente sós
depois do grande delito
sim, nascer
pouco mais resta do que
viver
ide em liberdade
para dentro do casulo
o amém do futuro

Ana Saraiva

Hora de ponta…

um homem tomba na hora de ponta
a pressa desfaz-se
na ordem natural das coisas
uma mulher chora na hora de ponta
é acompanhada
pela súbita mansidão dos olhares
um casal beija-se na hora de ponta
passaram a idade há muito
fazem-se balanços
há bancarrotas
falências alegres
e melancólicas esperanças
um miúdo ignora a hora de ponta
há um croissant de chocolate
que é preciso vencer
ninguém fica depois da hora

Ana Saraiva