O segundo “Forrest Gump” do Partido Socialista…


Expresso-Única, 15.05.2010

Ele há… coincidências! Não tenho aqui, de momento, o exemplar da revista do Expresso de 24 de Julho de 2004, em que Sócrates, também numa longa entrevista, se dizia um “animal feroz”. Mas quase poderia jurar que a entrevista era ilustrada com, pelo menos, uma fotografia de Sócrates também sentado num banco de jardim (espero que não fosse o mesmo banco em que se senta agora Seguro). Se a memória não me trai, faltava à fotografia de Sócrates como Forrest Gump a assinatura da sombra, que agora pode ser vista na fotografia de Seguro. Como os políticos portugueses, quando se prestam à pose, são tão primários e tacanhos!…

Um deputado eleito pelo círculo de Braga que mora nas Caldas da Rainha, dá aulas, em Lisboa, “em três escolas do ensino superior”, detesta “a desonestidade e a mentira” e diz que, um dia, assumirá “as suas responsabilidades”…



(…)

(…)
Expresso-Única, 15.05.2010

O Expresso dedica-lhe a capa da Revista e oito páginas. Sucede que António José Seguro, no seu registo parlamentar de interesses, declara que é “colaborador do Jornal Expresso” e da SIC. A entrevista publicada, promocional, deverá provavelmente fazer parte da avença. Mas repare-se mais: António José Seguro também declara, no seu registo de interesses, que tem como actividade principal… a docência universitária. Mais: informa que dá aulas “na Universidade Autónoma de Lisboa, no Instituto Superior de Comunicação Empresarial e num curso de pós-graduação no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas”. É obra! Dá aulas em três escolas do ensino superior e ainda consegue ser… deputado. Mais: é deputado por Braga e mora nas Caldas da Rainha. Este rapaz, que tanto abomina a “desonestidade e a mentira”, tem futuro!…

Cuidado, portugueses! Esta revista provoca alarme social e convida, obviamente, à fornicação…



Posou para a Playboy e nem o nome lhe publicaram. Não fora o “alarme social” e, salvo os voyeurs do costume, ninguém saberia de quem se tratava. Agora, vai pagar o atrevimento, porque nunca, em Mirandela, os rapazinhos, até agora, tinham visto, numa revista, uma mulher nua. E logo a professora de actividades extracurriculares. Razão tem, afinal, o pateta mais real de Portugal: tudo isto não é mais do que um convite à fornicação


DN, 15.05.2010