Um deputado com vocação para… carteirista?…

ric0605dd.jpg
ric0605cc.jpg
(…)
Sábado, 06.05.2010

Com toda a franqueza, deste deputado nunca esperei grandiosidades. Por isso, não estranhei o seu gesto. O que muito me surpreendeu e, civicamente, magoou foi a “solidariedade” que, prontamente, lhe foi manifestada pelo líder parlamentar do PS. Grande exemplo, Francisco Assis! Grande exemplo para a juventude portuguesa!…

Para memória futura: estes são os gravadores que o deputado socialista Ricardo Rodrigues confessou ter furtado num “acto irreflectido”…

sab0605a.jpg
Sábado, 06.05.2010

Ricardo Rodrigues, para quem não saiba, é vice-presidente da bancada parlamentar do PS, membro da Comissão Permanente da Assembleia da República e ainda da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. Bate tudo certo…

ric0605bb.jpg
ric0605aa.jpg
Sábado, 06.05.2010

“Todos têm os seus azares, todos têm os seus azares. Que querem que eu faça na vida?”…

Ricardo Rodrigues é vice-presidente da bancada parlamentar do PS. A revista Sábado acusa-o de ter furtado dois gravadores. Digo-vos: o homem, que entretanto já confessou o furto, tem, visivelmente, jeito de mãos…

Se atendeu, seria deus com certeza. Ou a virgem, sua mãe (dele, não importa qual)…

tel0105c.jpg
tel0105b.jpg
tel0105.jpg
Notícias Sábado, 01.05.2010

Toca Mozart, depois de jantar, num piano de cauda (espero que Mozart nunca tenha apresentado queixa) e atende o telemóvel, despudoradamente. Assim se comprova que Ratzinger sabe usar as mãos, não apenas em privado, mas também em público…

A pílula do dia seguinte de… Sócrates…

grana3004.jpg

Acompanhei a inquirição de Henrique Granadeiro. Não repetirei aqui o que ele disse à Comissão. Mas sobra-me a convicção de que o seu testemunho abriu a cova em que Sócrates, politicamente, será enterrado. O dia 26 de Junho de 2009, mais do que o dia 24, ficará gravado nos anais da história portuguesa como o dia em que um governo encenou uma pantomina para diversão e engano dos portugueses incautos. É a expressão máxima de um estilo de governação, em que a verdade e a seriedade não contam: conta apenas o espelho da vaidade de um primeiro-ministro. Pobre país este, governado por gente com tão pouco carácter…