Antologia poética (460)…

Improviso sobre o fogo em que ardemos…

Como Marley
poderia também dizer-te
No Woman No Cry
as lágrimas não abrem as janelas
que deixámos fechar
e há manhãs de sumo de laranja
que não voltaremos a beber
as saudades tropeçam no destino
e nós tropeçamos nas saudades
sobra ainda esta fuligem de fogo
que nos sufoca por dentro
como se continuássemos a arder.

Ademar
07.08.2006
publicado em abnoxio3.blogs.sapo.pt

Comentar