Antologia poética (458)…

Improviso para segredar ao ouvido…

Há segredos
que eu não dispo para ninguém
senão para ti
que vives dentro deles
como numa espécie de concha da alma
seria inútil negar-te o que sabes
porque sempre o soubeste
mesmo antes de mim.

Ademar
08.08.2006
publicado em abnoxio3.blogs.sapo.pt

Comentar