Antologia poética (133)…

Improviso sobre a infância…
Excedo-me de brinquedos que já não brincam
mas ainda me acrianço
quando voo as noites em pensamentos
que sonham
a infância é apenas
este tempo de recreio interior
um pátio abrigado um quarto longínquo
que já nem a memória habita
onde solitariamente
continuo a coleccionar palavras
como feitiços
nascem-me assim os poemas.
Ademar
08.11.2005
publicado em abnoxio2.blogs.sapo.pt

Comentar