Vara escondido com o rabinho de fora ou… tentai descobrir a principal diferença entre estes títulos…

vara1a.jpg
vara2a.jpg
Correio da Manhã, 29.10.2009
vara3a.jpg
vara4a.jpg
Público, 29.10.2009
vara5a.jpg
vara6a.jpg
i, 29.10.2009
Acertou! O i consegue a proeza de dedicar duas páginas à Face Oculta sem referir uma única vez que Armando Vara foi constituído arguido. Nem nos títulos, nem no desenvovimento da notícia. É caso para perguntar se Armando Vara tem alguma ligação à empresa proprietária do jornal do grande orador

Recordando uma parte do que, neste blogue, já se publicou sobre Armando Vara, no dia em que se soube que foi constituído arguido…

var2910c.jpg

Quem se mete no PS, prospera

var2910f.jpg
Correio da Manhã, 21.09.2009

E o Brasil aqui tão longe

var2910a.jpg
Correio da Manhã, 09.04.2008

Salto à Vara

var2910d.jpg
Público, 24.12.2007

Haverá ainda alguém neste país que fique VARAdo?!
Um administrador da CGD que não gosta de pimenta

var2910b.jpg
Sábado, 12 a 18 de Abril de 2007

Um reitor providencial…
Este também é licenciado pela Independente!…

Improviso para golear a canalha do futebol…

Uma mulher ou um travesti
nem sempre é o que parece
mas um vintém é sempre um vintém
e três vinténs
os lendários três vinténs
muito mais
pelo menos enquanto o são
sim
o futebol é um palco de trolhas
e de professores que nunca chegarão
a titulares
mas um cretino é um cretino
um idiota um idiota
um laurentino um laurentino
um madaíl um madaíl
há coisas que nunca mudam
nem quando muda o governo
evidentemente
são valores absolutos.

Ademar
28.10.2009

Caim mata Abel…

Ele cumpriu a promessa. Voltou para contar uma estória bíblica. Veio caminhando absorto na leitura de um livro que trazia nas mãos. Ao ver-me, fechou o livro, sorriu e disse: ?Estou relendo o livro Demian, de Hermann Hesse. Ele foi a primeira pessoa a compreender a estória de Caim e Abel. Compreendeu porque não acreditou no que lhe haviam ensinado na igreja. Leu a estória pelo avesso. A estória diz que Caim era um homem que tinha no rosto uma marca que dava medo nos demais. Seu poder provocava inquietação. Por isso nem se atreviam a tocá-lo. Os filhos de Caim, marcados com o mesmo sinal, atemorizavam os demais. Daí que o sinal passou a ser explicado não como a distinção que realmente era, mas como uma coisa ruim, um sinal de maldição. Espalharam o boato de que os homens assim marcados eram malvados. A existência de uma raça especial de homens sem medo passou a incomodar. Os que têm medo não gostam dos que não têm medo. Aí inventaram uma lenda de horror, irmão matando irmão, para se vingarem daquela raça… Caim era um verdadeiro homem e lhe arranjaram essa história porque o temiam…?
Fiquei surpreso com essa versão que o Diabo me trazia da estória. Eu aprendera que Caim era mau e Abel era bom. Pois agora, com a nova explicação, eu também comecei a ver a estória pelo avesso.
?Você está sugerindo que Caim não era mau e que toda a narração da Bíblia está errada??, perguntei.
?É isso mesmo. Basta ler a estória com atenção ( Gênesis 4.1-16) . O que ela diz é que Caim era lavrador, cultivava os campos, via a relva pela manhã coberta de orvalho, semeava o trigo e ficava feliz ao ver suas espigas douradas agitadas pelo vento.. Cuidava das videiras, fazia vinho e espremia as azeitonas para fazer azeite. Ah! O azeite com que se lambuza o pão e se põe nas lâmpadas para alumiar! Lavrador, ele seguia uma mansa dieta vegetariana.
Já Abel, seu irmão, era pastor de ovelhas. Levava-as pelas pastagens para que ficassem gordas. Pra que ficarem gordas? Porque as amava? Não. Abel adorava carne de ovelha assada na brasa. Abel era carnívoro. Alimentava-se com a carne das mansas ovelhas, as mesmas ovelhas que ele levava para pastar. Foi por isso que Abel, para realizar seus impulsos gastronômicos, inventou o churrasco. Abel, o carnívoro, é o patrocinador de todos os churrascos.
O quintal da casa de Abel estava sempre cheio de cabeças de ovelhas, cobertas de moscas. De dia vinham os urubus; de noite, as hienas.
Os hábitos carnívoros de Abel preocupavam Caim, que gostava muito do irmão. Ele temia que Jeová se vingasse dele por causa dessa maldade para com animais tão mansos e indefesos.
Abel, você não tem medo de Deus, ele perguntava? Você sabe que um profeta ainda não nascido irá escrever que Deus é o pastor que dá a sua vida pelas suas ovelhas. E você é um pastor que faz justo o contrário… Deus vai te castigar…
Abel não dava bola. Mordia a perna assada da ovelha e ria do irmão. Até que ele se encheu com as advertências do irmão.
Olha aqui, Caim, vamos resolver esse assunto de uma vez por todas. E a melhor forma de fazê-lo será convidar Jeová para um almoço. Ele será o juiz. Ele dirá qual dieta é do seu agrado. Você prepara um almoço vegetariano e eu preparo um churrasco de carne de ovelha…
Assim ficou combinado. Acertaram a data e enviaram um convite ao Todo Poderoso.
Caim caprichou no almoço. Saladas multicoloridas, pão quentinho, saído do forno, azeitonas, alcachofras, milho cozido, arroz e feijão. A mesa estava uma beleza.
Abel matou uma ovelha ? era triste ouvir os balidos de dor da ovelha enquanto Abel lhe enfiava a faca no coração ? decapitou sua cabeça e a estripou. Acendeu a churrasqueira estilo gaúcho e colocou a ovelha sobre as brasas. A gordura pingava sobre as brasas. O cheiro era tentador…
No dia e hora marcados, chegou Jeová para o almoço. Olhou de longe para a linda mesa que Caim lhe preparara. Mas as alfaces, os tomates, os pães e o azeite não o comoveram. Suas glândulas salivares permaneceram indiferentes. Aí ele respirou fundo e a fumaça com o cheiro da gordura entrou pelo seu nariz. Ah! Como é suave o cheiro da gordura da ovelha churrasqueada. E a boca de Jeová se encheu dágua.
Assentaram-se então os dois, Jeová e Abel, banqueteando-se com as carnes da ovelhinha churrasqueada.
Caim, de longe, sozinho com sua refeição vegetariana, olhava com raiva. Era uma raiva profunda. Inveja de Abel, o cozinheiro preferido pelo Criador. E indignação com Jeová. Nunca lhe passara pela cabeça que Jeová pudesse ser carnívoro e que desprezasse os vegetarianos…
Passado o almoço, Jeová com a barriga cheia retornou aos céus. Abel pôs-se então a caçoar de Caim. A raiva foi crescendo no coração de Caim até que ele, movido por justa indignação vegetariana, tomou um cabo de enxada que estava encostado à porta de sua casa e, com uma paulada certeira, despachou o seu irmão para o outro mundo. Ah!, ele pensou. Daquele momento em diante as ovelhas não precisariam mais ter medo.?
Nesse momento, o Diabo se calou. A estória havia chegado ao fim.
?Acho que você nunca pensou nisso, que o primeiro assassinato tenha acontecido por uma questão de dieta…? Mas não era uma questão de dieta apenas. Era uma luta entre dois deuses. O Deus de Abel, carnívoro, que só se satisfaz com sangue e o Deus de Caim, vegetariano, que se satisfaz com alimentos mansos…
Ditas essas palavras, ele se levantou e despediu-se. ?Até um dia qualquer. Voltarei para contar outras estórias...?

Rubem Alves