Depois de todos os compromissos políticos que assumiram os partidos da oposição, qual deles estará disposto a trair a confiança dos seus eleitores para dar a mão ao PS?!…

pss2909.jpg
i, 29.09.2009

O PS parece que ainda não percebeu que perdeu a maioria absoluta e que, a partir de agora, vai ter de partilhar o poder, negociando e cedendo. Essa foi a vontade que os eleitores portugueses, claramente, exprimiram nas urnas. E nenhum partido da oposição quererá suicidar-se politicamente, traindo a confiança dos seus eleitores e permitindo que o PS continue a governar como até aqui. Eu, pelo menos, não perdoarei nenhuma traição…

Improviso em forma de escrutínio…

A mesa comprida
a mesa farta
há quem se sente à mesa
e quem se sinta
preterido
os cães ladram ou rosnam
entre patrióticas lambidelas
tu chegas à porta e perguntas
se ainda cabem mais chupistas
a mesa comprida
a mesa farta
a democracia
fecha a porta por fora Cecília
eles que saltem pela varanda
depois do festim.

Ademar
28.09.2009

Os proprietários do país não autorizam que Sócrates se entenda com a esquerda para governar: só com o CDS-PP e o PSD…

vanz2809.jpg
E, subitamente, o esposo de Maria João Avillez, Francisco Vanzeller, presidente da CIP, pôs os saltos altos e declarou-se… proprietário do país: seria uma tragédia, disse ele, que o PS se associasse ao BE e à CDU para governar. Ele consente, apenas, que Sócrates peça a esmola para-lamentar ao CDS-PP e ao PSD. Suponho que já terá dado instruções nesse sentido a Paulo Portas e a Manuela Ferreira Leite. Nem lhe ocorreu que, ao falar nestes termos, estava a colocar Sócrates numa posição caricata. Uma trela e uma coleira pesam demasiado no pescoço de um candidato a primeiro-ministro, mesmo que ele tenha começado a carreira política na JSD e responda pelo nome de José Sócrates. Vanzeller está chateado com os eleitores portugueses. Alguém, em nome destes, deveria pedir-lhe humildemente desculpa. Antes que ele se zangue!…

O mistério do i…

iii2809.jpg
Hoje, na banca onde, diariamente, me abasteço de jornais… fui informado de que o i, “por razões técnicas”, não fora distribuído: assim rezava, pelo menos, o comunicado que a distribuidora VASP fizera chegar aos postos de venda. Muito estranho, comentei. O funcionário sorriu e saiu-se com esta: talvez não seja, talvez o jornal não volte a ser publicado. E, perante o meu acrescido espanto, rematou: há quem diga mesmo que o i só foi criado para ajudar o Sócrates a ganhar as eleições…
Os boatos que correm em Portugal…