Obviamente, demitam-se!… (77)

tres08aa.jpg
Em três anos, conseguiram instalar o caos nas escolas públicas. Já não discuto as intenções, nem as causas; limito-me a registar as consequências: professores furibundos e insubordinados, que nenhum sindicato ou conselho executivo consegue já controlar; alunos nervosos e insurrectos, à espera do menor pretexto para fazerem desacatos; pais perplexos e divididos.
Eu sei que o governo não desejava isto. Mas a realidade é esta e está à vista de todos.
No caos, ninguém ensina e ninguém aprende e o processo educativo converte-se num pesadelo diário. As escolas públicas precisam urgentemente de paz. E precisam de um novo fôlego motivacional.
Maria de Lurdes Rodrigues, Valter Lemos e Jorge Pedreira deixaram de ser parte da solução, para passarem a ser, simplesmente, o problema. Se são pessoas de bem e ainda querem o melhor para as escolas e para o país, só lhes resta um caminho: pedirem a demissão e darem o lugar a outros. E quanto mais depressa, melhor.

Improviso pessoano…

Hoje abriste finalmente o baú
e estendeste sobre a cama
todos os ventos
não há memória de uma viagem assim
tão íntima
e tão lenta
esse corpo já não tem a inocência nem o pudor
dos berços originais
mas ainda treme
na vibração das cordas intocadas
na impaciência dos dedos acariciantes
que dominam a sofreguidão do tempo
que envelhece enquanto renasces
regresso ao álbum da infância
e pergunto se já lá estiveste.

Ademar
29.01.2009

Senhor Primeiro-Ministro, é óbvio que eu parto do princípio de que está inocente (senão, já o teria exonerado). Mas diga-me: por quanto mais tempo é que teremos ambos de aguentar isto?…

dois09aa1.jpg
Algo que me diz que a reunião de hoje entre o Presidente da República e o Primeiro-Ministro correu muito mal. Eu, no lugar de Cavaco, estaria mesmo muito zangado…