Improviso para dedilhar numa única corda…

O pensamento reparte-se
como um bolo de aniversário
ponho velas no desejo
e deixo-me atear
há talvez copos a mais
na bandeja que conduzes entre as mesas
e as garrafas já estiveram vazias
sobra agora um poema incompleto
e a paixão inteira
primeira.

Ademar
30.09.2008

Valter Lemos já foi demitido?… (210)

val20.jpg
val21.jpg
val22.jpg
val23.jpg
val25.jpg
val26.jpg
val27.jpg
val28.jpg
Público, 01.03.2008
Alguns leitores têm-me perguntado por que insisto, por que continuo, dia após dia, a exigir a demissão de Valter Lemos. Respondo: porque tenho memória e não admito canalhices políticas…
Durante cerca de seis anos, Ana Benavente foi, em nome do PS e com diferentes ministros (incluindo Augusto Santos Silva), Secretária de Estado da Educação. Para o mal e para o bem, foi uma das principais responsáveis pela política educativa do PS. António Guterres era o primeiro-ministro e Sócrates, membro do governo. Eu espero sempre que os partidos políticos, pelo menos, sejam capazes de assumir a coerência e a bondade das políticas que, no governo, desenvolvem. Durante seis anos, eu executei no terreno a política educativa do governo socialista, julgando que o PS, pelo menos, se reconhecia nela…
Valter Lemos, secretário de estado da educação de um governo ainda socialista, agora dirigido por Sócrates, considera que a política educativa de António Guterres produziu “os piores resultados escolares da Europa”. A crítica atinge em cheio a honra não apenas do PS, mas do actual primeiro-ministro e do ministro dos assuntos parlamentares. É, politicamente, uma deslealdade inqualificável e uma grosseria que ofende todos aqueles que, nas escolas, têm dado a cara pelas políticas educativas dos sucessivos governos…
Num país a sério, dirigido por gente com carácter e coluna vertebral, Valter Lemos afastar-se-ia imediatamente do governo ou seria afastado. Não sucedeu uma coisa, nem outra e Valter Lemos continua a exercer, tranquilamente, as suas funções, como se não pudesse ser responsabilizado pelos seus actos, ou seja, como se fosse inimputável. Só faltava mesmo sermos governados por inimputáveis!…
Eu recuso-me a aceitar este desgraçado estado de coisas e, por isso, continuarei a perguntar, todos os dias, se Valter Lemos já foi demitido. Eu não sou cúmplice…

Nudezes…

sacio-me bem e a gosto
como da minha fome
e bebo da minha sede
na boca que me acolhe
toda tua e eu
sacio-me outra vez
e outra vez tenho fome e sede
e a tua boca toda tua
acolhe-se na minha saciedade
estamos nus e somos pobres
Ana Saraiva