Improviso para partitura…

Se ainda quiséssemos namorar
não faltariam para as mãos
encostas nem contrabaixos
é uma arte para iniciados
entre o montanhismo e o jazz
bastam dois olhos e dois ouvidos
e cordas que prendam.

Ademar
30.06.2008

A fragilidade do anonimato…

blo66.jpg
Público, 30.06.2008

Por uma questão de higiene cívica, raramente consulto (e muito menos divulgo) blogues de autores anónimos. Lido mal com o anonimato. Como lido mal com a corrupção, a venalidade, a vigarice, a demagogia…

A cidadania deve a si própria, sempre, a coragem (e a autoridade) da autoria. O cidadão que atira pedras, escondendo a mão, coloca-se na posição de quem não aspira a ter direitos, nem deveres. E essa irresponsabilidade não cabe na minha noção de cidadania.

Lamento que um blogue seja suspenso nas circunstâncias em que este o foi. Mas jamais prestarei solidariedade à cobardia…

Vitória da Espanha no Euro poderá não vir a ser homologada!…

euro08.jpg
A UEFA já está a investigar (ainda que em segredo) a suspeita de que a Espanha, na final do Europeu, poderá ter utilizado em simultâneo 12 jogadores em diferentes momentos da partida que disputou com a Alemanha.
Não se sabe ainda como isso poderá ter ocorrido, mas a verdade é que vários espectadores presentes no estádio Ernst-Happel garantem que a selecção espanhola, tanto na primeira parte, como na segunda, chegou a ter em campo mais jogadores do que a alemã – e daí a superioridade que evidenciou.
As imagens televisivas, que os peritos da UEFA têm vindo a analisar, não parecem ser conclusivas. Há alturas, de facto, em que a selecção espanhola parece ter mais de 11 jogadores, mas poderá tratar-se apenas de uma ilusão de óptica, como aconteceu, por exemplo, em Fátima, em 1917.
Admite-se que a chanceler alemã, Angela Merkel, faça ainda hoje uma declaração formal sobre o assunto, exigindo uma rápida conclusão do inquérito e a consequente penalização dos culpados, se as suspeitas de fraude vierem a ser comprovadas. Neste caso, a vitória no Euro deverá ser atribuída à Alemanha, ainda que se admita que a Espanha, por imperativos patrióticos e constitucionais, não possa já devolver a taça.
O Euro, afinal, ainda não terminou. Graças a Deus!

Valter Lemos já foi demitido?… (119)

val20.jpg
val21.jpg
val22.jpg
val23.jpg
val25.jpg
val26.jpg
val27.jpg
val28.jpg
Público, 01.03.2008
Alguns leitores têm-me perguntado por que insisto, por que continuo, dia após dia, a exigir a demissão de Valter Lemos. Respondo: porque tenho memória e não admito canalhices políticas…
Durante cerca de seis anos, Ana Benavente foi, em nome do PS e com diferentes ministros (incluindo Augusto Santos Silva), Secretária de Estado da Educação. Para o mal e para o bem, foi uma das principais responsáveis pela política educativa do PS. António Guterres era o primeiro-ministro e Sócrates, membro do governo. Eu espero sempre que os partidos políticos, pelo menos, sejam capazes de assumir a coerência e a bondade das políticas que, no governo, desenvolvem. Durante seis anos, eu executei no terreno a política educativa do governo socialista, julgando que o PS, pelo menos, se reconhecia nela…
Valter Lemos, secretário de estado da educação de um governo ainda socialista, agora dirigido por Sócrates, considera que a política educativa de António Guterres produziu “os piores resultados escolares da Europa”. A crítica atinge em cheio a honra não apenas do PS, mas do actual primeiro-ministro e do ministro dos assuntos parlamentares. É, politicamente, uma deslealdade inqualificável e uma grosseria que ofende todos aqueles que, nas escolas, têm dado a cara pelas políticas educativas dos sucessivos governos…
Num país a sério, dirigido por gente com carácter e coluna vertebral, Valter Lemos afastar-se-ia imediatamente do governo ou seria afastado. Não sucedeu uma coisa, nem outra e Valter Lemos continua a exercer, tranquilamente, as suas funções, como se não pudesse ser responsabilizado pelos seus actos, ou seja, como se fosse inimputável. Só faltava mesmo sermos governados por inimputáveis!…
Eu recuso-me a aceitar este desgraçado estado de coisas e, por isso, continuarei a perguntar, todos os dias, se Valter Lemos já foi demitido. Eu não sou cúmplice…