Mais pelo lado do Prós do que do Contras…

Sou pai. Sou professor. Sou jurista, de formação. Nunca me passou pela cabeça invocar um qualquer Estatuto do Aluno para, na sala de aula, agir desta ou daquela maneira. No dia em que sentisse essa necessidade, abandonaria imediatamente a escola e regressaria à barra dos tribunais. Nenhuma lei concede autoridade pedagógica ou educativa a quem não a tem…

Aula livre…

Esta noite fiquei a saber, no Prós e Contras, que há aulas… livres. Pelos vistos, há aulas livres e aulas que o não são. Só não percebi para quem.
Há muita gente, neste país, a falar sobre educação… nas pontas dos pés. Como se fossem todos… Cristianos Ronaldos…
Receio que a adolescência, em Portugal, esteja mais disseminada do que eu supunha…

Improviso para partitura de surpresas…


O pensamento não tem mãos
as mãos com que escondes sempre
os olhos que talvez preferisses cegar
na superfície do espelho
só o corpo guarda as marcas
dos dentes que falam
tatuagens de poemas que duram mais
do que as palavras impressas
movimentas-te sempre devagar
pela casa que não dormes
há destinos de tão perfeitos
que não cantam
ou vozes que nem precisam de cantar
para se fazerem ouvir no silêncio.

Ademar
31.03.2008

Albergue Espanhol…

Em português, passa por A Residência Espanhola. É uma burrice. O título original,
L’Auberge Espagnole, recomendaria a tradução mais óbvia e informada: Albergue Espanhol. É um filme delicado e inteligente de Cédric Klapisch. Poderá parecer uma promoção do programa Erasmus ou de Barcelona, cidade que adoro, mas é muito mais do que isso. Como descobrireis, espero, nestas duas sequências que vos ofereço…


Coisas que eu não entendo…

20000.jpg
Público, 31.03.2008
Depois de uma marcha em Lisboa que reuniu cerca de 100.000, um abaixo-assinado sindical com 20.000 assinaturas é, mediaticamente falando, um tiro no pé…
Estes sindicatos não ganham juízo…

Valter Lemos já foi demitido?… (29)

seccccc.jpg
Público, 01.03.2008
Quando um secretário de estado censura, publicamente, a actuação política (ainda que no passado próximo) de um colega ministro… que deverá fazer um primeiro-ministro (mais a mais, quando ele próprio fazia parte também do governo censurado)?
Duas hipóteses.
Hipótese 1
Cruza os braços e assobia para o ar, fingindo que não é nada com ele ou que ninguém percebeu.
Hipótese 2
Dispensa liminarmente os serviços do secretário de estado, ainda que ele possa ser seu amigo.
Um primeiro-ministro que assobie, covardemente, para o ar e faça de conta… só poderá merecer o desprezo do país…
Um primeiro-ministro que afirme a sua autoridade… merecerá, pelo menos, o respeito dos seus ministros.
Chegou a hora de José Sócrates mostrar o que vale como primeiro-ministro.