Maravilhas, maravilhas…

hinop.jpg
Tabu, 13.07.2007
Por que é que as senhoras (sobretudo quando estão na primeira fila) abrem tanto a boca quando cantam o hino pátrio? Será de dor ou de alegria? Ou apenas para a fotografia?…

saldanhasan.jpg
Sábado, 26.07.2007
Saldanha Sanches é um pândego. Felizmente, não se leva muito a sério. Ainda bem para ele. Ainda bem para todos. Só os idiotas é que se acreditam muito importantes…

Sugestão de leitura…

arnaut.jpg
Visão, 26.07.2007
Durante alguns anos, fui vizinho, em Coimbra, de António Arnaut, um dos fundadores históricos do PS. É um homem cuja integridade e cuja coerência política admiro. Recomendo a leitura desta entrevista de Arnaut à Visão…

A pós-modernidade…

comer1.jpg
Diário do Minho, 26.07.2007
Um dia, batendo todos os recordes, Braga será apenas um imenso “continuum” de grandes superfícies comerciais, quase todas, às moscas. Deve ser muito pós-moderno…

Eppur si muove…

araujo.jpg
Diário do Minho, 26.07.2007
Devo dizer que tenho o maior apreço pessoal por Silva Araújo, que durante muitos anos dirigiu o Diário do Minho, jornal diário da Arquidiocese de Braga. Considero-o um homem bom e um padre católico acima de qualquer suspeita (de pedofilia, de farisaísmo, de desumanidade, de cabotinice). Porém, quando o leio, muitas vezes fico angustiado. Ele vive num mundo que já não existe. Ele tem padrões de “normalidade” que eu considero, francamente, anormais, quase patológicos. E fala de cátedra do que nunca viveu (do sexo, do casamento, da paternidade). Falta-lhe o saber e o sabor da experiência. E quem escreve sobre o que não sabe… escreve do além para ninguém. O texto que hoje, parcialmente, reproduzo podia ter sido escrito há cem anos atrás ou mais, muito mais. É um chorrilho arqueológico de vulgaridades quase tridentinas. A humanidade, porém, moveu-se e Silva Araújo ainda não o percebeu. Tenho tanta pena…