Indemnizai-vos todos uns aos outros, uns nos outros, enquanto podeis!…

indemniz.jpg
DN, 30.03.2007
Passam do governo para as empresas públicas e para a banca, das empresas públicas e da banca para o governo e, nestas viagens circulares, vão acumulando… indemnizações. De vez em quando, falam-nos do défice e da pátria, que tanto amam e, abnegadamente, servem. Em Portugal, de uma forma ou doutra, sempre foi assim. É por esta e por todas as outras que o povo, em geral, associa a política à mentira, à trafulhice e ao crime organizado e tenta eximir-se ao cumprimento de todos os deveres cívicos. Eu já não consigo ver e ouvir esta gente sem soltar um impropério ou uma gargalhada…
Recuperando e glosando Sophia, há um país neste país que sempre lentamente nos mata…

Sopranos à portuguesa…

sopran.jpg
A Bola, 30.03.2007
Universidades privadas, futebol, construção, tráfico de armas e de diamantes, branqueamento de capitais, evasão fiscal e gel, muito gel… Portugal é isto e Angola é nossa…
Falo em geral, claro, que Amadeu Lima de Carvalho, neste entremez, não passa de um actor secundário, em fim de carreira. Basta ver a pose da criatura ao espelho…
Mas, como diria Jorge Perestrelo, aos microfones da TSF… é disto que o meu povo gosta!…

O “bumbum” de Gisele e os pobres brasileiros que se excitam sempre com tão pouco…

gisele1.jpg
Os brasileiros andam excitadíssimos desde que a V MAN publicou esta sequência fotográfica…
Gisele como veio ao mundo na ?V Man Magazine?
Gisele Bündchen mostra o bumbum em revista masculina – Modelo aparece nos braços do amigo e fotógrafo Mario Testino na V Man
Gisele Bündchen mostra bumbum em ensaio – Ensaio de famoso fotógrafo peruano traz Gisele quase nua; modelo mostra bumbum em fotos para revista
Gisele Bündchen expõe nudez em ensaio para revista
Gisele Bündchen mostra o bumbum em editorial de revista masculina

Os brasileiros, em geral, são assim: excitam-se com muito pouco. E em qualquer pocilga instalam mais um altar à santinha de turno…

O luto de Eurídice…

o pouco que falta para morrer
é o passo entre saber que hoje me contas
em quem me tornarei
e o dia que afinal já não vem
anunciar-me como tudo é novo
eu não sabia
pensava que era apenas ter medo
pintar, concentradamente,
todos os calendários de luto
enchê-los de branco
e não ver lírios
só silêncio
falta tão pouco que não sei como dizer-te
talvez me cale
e envenene apenas a minha água
e procure a tua fonte
e volte
como se Eurídice fosse capaz
de olhar para trás
Ana Saraiva